Balada Fashion

27/11/2009

É hoje a festa de encerramento da 26ª Casa de Criadores, com Amanda Lepore, no Clube Glória.

Mas antes ainda tem muita programação de desfiles, no Shopping Frei Caneca: Ponto Zero (Leandro Gabionetta, Ana Paula Becker, Bruno Gonzaga; AME por Alice Sinzato e Helena Kussik, Cynthia Hayashi, Hey! U por Cristiane Soares e Sauna por Ana Beatriz Almeida e Claudia Leimi Yasumura; em seguida Geraldo Couto, André Phergom, Diva, Prints I Like, Weider Silveiro e Gustavo Silvestre.

Amanhã conto tudo!!

Mais do terceiro dia da Casa de Criadores, primeiro dia com desfiles seguidos, no Shopping Frei Caneca.

Ronaldo Silvestre traz Mata Hari (lendária dançarina e espiã da Primeira Guerra Mundial) como tema do desfile cheio de detalhes e brilhos tipicos dos anos 40, mas  com muitos tecidos diferentes entre si (de brocados a  moletom!!!), além de misturar looks casuais, para festa, conceituais, comerciais; estampas e lisos. Foi um pouco de mistura demais, que prejudicou a leitura das intenções do estilista (mas ele é jovem e, portanto, quis ousar).

A No hay banda, de Bruna Santini, Juliana Magro e Claudia Mine, trouxe um  inverno fresquinho, inspirado pelo bicho-da-seda (apesar de ter tricô e couro, trouxe a leveza da seda). Foi uma coleção de muito preto, com pegada sexy + rocker (que se via nos curtinhos de couro fake) e os mais “festeiros”, além dos looks para trabalhar, onde se viu chiffon, cetin, palha, georgete e tecidos de aparência rústica. 
 

 R.Rosner mostrou uma moda festa extravagante, inspirada na avó do estilista que estaria fazendo 100 anos em 2009, cuja luva foi usada para estampar as peças, que tiveram a trama da renda ampliada e impressa em tule ou seda, aparencendo algumas vezes numa versão brilhante e outras em versão brocado.

A coleção é composta de looks de desenhos modernos, em cores que vão dos rosas aos pretos e brancos. Apareceram leggings de tule estampadas para festa e peças com canaletas de paetês, muito bem executadas e que apresentaram ótimo efeito.

Por fim, vimos as estampas e visuais kitsch de Urussai, de Catarina Gushiken, estreante na passarela da Casa de Criadores. E ela veio com a  história da Yakuza, trazida por ela para o mundo feminino.

O melhor da marca é a malharia e a estamparia, além da lingerie e da alfaiataria. Surgiram plissados nervuras nas calças, dando-lhes um belo movimento, bem como um bonito trabalho nas mangas, que, ao lado das estampas, conferiram um caráter comercial  à coleção.

O segundo desfile do dia 25/11 foi de Milena Hamaní, que trouxe como tema o pintor francês Toulouse Lautrec. Vimos uma coleção doce, de cores delicadas e tons pastéis, em modelos ora fluidos, ora volumosos.

Surgiram, então, lingeries sensuais e ao mesmo tempo comportadas: eram vestidos-camisola (para dormir ou para sair?), colants com mangas princesa e corsets; eram babados, vestidos, maxi-polainas e um xale, em pontos vintage de tricô.

Mas, à medida que o desfile evoluía, as cores mudaram, passaram dos pastéis para azul turquesa e preto. Mas nada era vulgar. Os acessórios propostos eram feitos de fio de ouro e pedras preciosas, super charmosos!

No 3º dia da Casa de Criadores (quarta-feira, 25/11) rolou mais palestra (“Crise: material reciclado?”, com Geni Ribeiro, na Pinacoteca), debate (“Caos por M2″, na Pinacoteca) e vários desfiles, agora no Shopping Frei Caneca: João Pimenta, Milena Hamaní, Ronaldo Silvestre, No Hay Banda, R. Rosner e Urussai.

João Pimenta trouxe como tema a missa dos vaqueiros nordestinos, em uma coleção com uma cartela de cores de tons terrosos (mel, âmbar, caramelo, camelo e tabaco) e tecidos rústicos (linho, couro, camurça e malhas). Eram aventais, vestidos e cinturas marcadas, modelagens ousadas feita para um homem bruto, viril: os modelos apareceram com apliques de barbas, bigodes ou cavanhaques (como os coronéis nordestinos!!).

O 2º dia da Casa de Criadores nesta última terça-feira 24/11, teve programação durante todo o dia, com palestra (“Pesquisando o Futuro: novos laboratórios de tendências”, por Sabina Dweik, na Pinacoteca), debate (“Crítica da Crítica”, na Pinacoteca) e o Happening oNONO (no Cartel 011).

A palestra, conduzida por Sabina Deweik, do Future Concept Lab (instituto de pesquisa e análise de comportamento do consumidor que fica na Itália, mas possui colaboradores em diversas cidades do mundo), abordou o trabalho de detectar tendências e quais as macro-tendências que imperam no mundo hoje, explicando que tendências não necessariamente têm a ver só com moda, mas com tudo que nos rodeia, desde novidades tecnológicas, até medidas governamentais.

Depois veio o debate “Crítica da Crítica”, com participação de críticos e jornalistas (Lula Rodrigues, Maria Prata, Ricardo Oliveiros, Carol Vasone e Alcino Leite) e mediação de Lilian Pacce, que lançou algumas questões sobre o avaliador da moda. Falou-se da a interferência da velocidade de informação na crítica de moda e da importância do Twitter como ferramenta de comunicação, com o porém de que tais ferramentas mais servem para reportar em tempo real do que criticar e analisar a moda, papel que é melhor exercido por jornais e blogs específicos. 

Para encerrar o dia, aconteceu o esperadíssimo desfile da oNONO, de Ad Ferreira, que na última edição da Casa preparou um desfile no heliponto do Shopping Frei Caneca. Desta vez, no Cartel 011, apresentou seu inverno 2010 com uma instalação.

Trouxe looks com peças desmembradas, que ficavam dentro de micro cenário (criado por Frank Dezeuxis). Os looks transformaram-se em personagens e cada um flertou com diferentes universos. Alguns com o catolicismo, outros com detalhes das religiões afro-descendentes ou apelo político; mostrou técnicas de estamparia, modelagem e materiais diferentes. Destaques para os colants de listras irregulares.

Fotos: Marcelo Soubhia/ Ag. Fotosite

Foi ontem à tarde a “passeata” que parou o centro da cidade de São Paulo, Fashion Mob. O evento marcou a abertura da temporada do inverno 2010 da Casa de Criadores, que reune, em geral, novos estilistas e será realizada novamente no Shopping Frei Caneca. Serão seis dias de palestras gratuitas e desfiles, alguns deles abertos ao público.

A passeata partiu do largo do Arouche com 54 blocos participantes e desceu a avenida Duque de Caxias, rumo ao parque da Luz. Lá estavam jurados que aguardavam para eleger o estilista que participará da próxima edição do Projeto Lab (lançamento de novos talentos no evento) – o vencedor foi Luiz Leite. Foi também neste ponto, no fim da tarde, que rolou o desfile das Gêmeas, marca pequena que já participa da Casa de Criadores há alguns anos e tem propostas mais criativas. 
 

Com um desfile lúdico (viram-se ursinhos e coelhinhos bordados nas peças), as irmãs Carolina e Isadora Krieger, estilistas das Gêmeas, trouxeram vestidos com a cintura deslocada pra baixo em saias duplas e bem curtas, mistura de tecidos, de cores e ombros de formato quadrado. Também se mostraram interessantes as calças e os shorts.

Hoje a Casa de Criadores seguiu com o desfile de Walério Araújo, no Museu da Língua Portuguesa (amanhã trago os detalhes); de terça a quinta, o evento segue no Shopping Frei Caneca.

Fotos: divulgação

Fashion Mob

21/11/2009

Começa amanhã, 22/11, o Fashion Mob, organizada pela Casa de Criadores, com início às 14h30, no Largo do Arouche e términoàs 17h, no Parque da Luz, com o desfile das Gêmeas. Os flash mob, para quem não connhece, são manifestações combinadas por alguma ferramenta social online (sms, emails, twitter, facebook…), para que as pessoas se encontrem em lugares inesperados, tendo combinado com pouca antecedência. É uma maneira rápida de organizar eventos.

Em seguida, acontece a 3ª edição do Festival de Música, que dessa vez está mais compacto, contando com apenas 3 bandas. Foram convidados o Daniel Peixoto (que tocou na 1ª edição do festival e recentemente lançou seu projeto solo), Subburbia (que foi selecionada na edição passada, mas devido a um problema no dia do show, não puderam tocar) e a banda Multiplex.  Antes das três bandas se apresentarem, o Alloyha Copacabana toca e quem fecha a grande noite é o Copacabana Club, com apoio da MTV.

A programação paralela conta com um ciclo de palestras (entre os dias 24 e 26 de novembro) e o desfile-performance de Walério Araújo, no Museu da Língua Portuguesa. Os desfiles oficiais ocorrem de 25 a 27/11, no Shopping Frei Caneca.

A a programação completa segue abaixo:

DOMINGO, 22/11
14h30 – Fashion Mob – Largo do Arouche
17h – Desfile Gêmeas – Parque da Luz
18h – Festival de Música Casa de Criadores – Parque da Luz

SEGUNDA, 23/11
21h – Desfile Walério Araújo – Museu da Língua Portuguesa

TERÇA, 24/11
14h30 – Palestra “Pesquisando o Futuro: novos laboratórios de tendências”, por Sabina Dweik – Pinacoteca
16h – Debate “Crítica da Crítica” – Pinacoteca
21h – Happening oNONO – Cartel 011

QUARTA, 25/11
14h30 – Palestra “Crise: material reciclado?”, por Geni Ribeiro – Pinacoteca
16h – Debate “Caos por M2″ – Pinacoteca
21h – Desfiles (João Pimenta, Milena Hamaní, Ronaldo Silvestre, No Hay Banda, R. Rosner, Urussai – shopping Frei Caneca

QUINTA, 26/11
14h30 – “Em Cartaz: Comédia da Moda Privada”, por Kathia Castilho – Pinacoteca
16h – Debate “Do Casebre ao Casarão” – Pinacoteca
21h – Desfiles – Projeto Lab – Karin Feller, Danilo Costa, Rachel (Projeto Box),Jadson Raniere e Arnaldo Ventura – em seguida, Ianire Soraluze, Der Metropol, Marcelu Ferraz, Tony Jr. e Rober Dognani – shopping Frei Caneca

SEXTA, 27/11
21h – Desfiles – Ponto Zero (Leandro Gabionetta, Ana Paula Becker, Bruno Gonzaga; AME por Alice Sinzato e Helena Kussik, Cynthia Hayashi, Hey! U por Cristiane Soares e Sauna por Ana Beatriz Almeida e Claudia Leimi Yasumura; em seguida Geraldo Couto, André Phergom, Diva, Prints I Like, Weider Silveiro e Gustavo Silvestre

%d blogueiros gostam disto: