Rolando desde segunda feira, dias 24/05, no shopping Frei Caneca, em São Paulo, a  Casa de Criadores coloca nomes emergentes da moda brasileira na passarela. Sabe o que já teve de legal?

Teve a coleção masculina da Der Metropol, de Mario Francisco, que trouxe uma coleção leve e bem comercial, mas muito legal; teve uma coleção sobre body mutation (as peças de moda praia tinham desenhos das marcações feitas pelos cirurgiões plásticos antes da intervenção, sabe?), assinada pela Purpure; surgiram bonecas russas, obra de R.Rosner, (de Jadson Ranieri); e as mulheres etruscas de Geraldo Couto.

Der Metropol

R. Rosner

Purpure

Jadson Ranieri

Geraldo Couto

Os desfiles do verão 2011 da Casa de Criadores apenas começaram, mas algumas tendências de maquiagem já começaram a aparecer. A primeira – e mais marcante – delas foi o uso de iluminadores nas têmporas e pálpebras, como se viu nos desfiles da R. Rosner, de Geraldo Couto e da Purpure.

Na R. Rosner, com make assinado por Robert Estevão, as modelos entraram na passarela com muito pigmento dourado (Golden Lemon, da M.A.C.), mas sem rímel, tipo “rosto lavado”. Mas de look básico foi só: Geraldo Couto mostrou muito iluminador nas têmporas, pálpebras e embaixo do olho – tudo ao mesmo tempo!!! – e a Purpure adicionou ainda mais brilho, aplicando o iluminador até em volta da boca, além de uma profusão de cílios postiços.

R.Rosner

Purpure

Geraldo Couto

O make luminoso é a cara do nosso verão e, ao que tudo indica, vem com tudo em 2011! Quer algumas opções de produtos?

Pigment, da M.A.C., sombra em pó solto altamente concentrada

Iridiscent Loose Powder, da M.A.C.

Powdered Metal, Illamasqua

Lumière Facettes, Chanel, efeito cintilante para os olhos

Touche Éclat Radiant Touch, Yves Saint Laurent, Proporciona uma pele luminosa e radiante durante todo o dia, além de prolongar o efeito da maquiagem.

Délice de Poudre Highlighting Powder, Bourjois, acrescenta luminosidade e um lindo acabamento transparente

Diorskin Poudre Shimmer - Poudre Lumiére Ultra-Scintillante, Dior, cinco tons coloridos que iluminam e resultam em uma transparência que harmonizam a tez e dão um efeito de delicada cintilância sobre a pele

Já pensou em terminar de comprar seus presentes de Natal em um bazar? Tem dois muito legais rolando a partir de hoje, acho que vale super a pena para investir em peças mais básicas e que não tenham “carinha datada”:

O primeiro é da Forum Tufi Duek, com peças de coleções passadas, inclusive do último inverno, com até 70% de desconto. Além das compras, você poderá ajudar alguém que está precisando, doando 1 kg de alimento não perecível para a ONG Cepac (Associação para Proteção das Crianças e Adolescentes). O bazar estará aberto nesse sábado e domingo (19 e 20/12), das 12h às 20h, na R. João Batista de Lacerda, 468, Mooca, São Paulo – SP.

O outro bazar conta com produtos e marcas descoladas a preços beeeem legais (com descontos de 40% a 70%). São peças de vários estilistas participantes da Casa de Criadores e convidados especiais: Add, Adults Only, Amapô, Cinto Muito, Der Metropol, Do Estilista, Fábia Bercsek, Gêmeas Vintage, Gustavo Silvestre, João Pimenta, Karin Feller, Mayo, No Hay Banda, R. Rosner, Rober Dognani, Tony Jr. e Urussai.  O bazar funciona entre os dias 19 e 23/12 (sábado, segunda, terça e quarta das 10 às 22 hs; domingo das 13 às 19 hs), Loja Pop Up da Casa de Criadores, na Alameda Lorena, 1682 – Jardins, tel. 11 3o62-5086

Mais do terceiro dia da Casa de Criadores, primeiro dia com desfiles seguidos, no Shopping Frei Caneca.

Ronaldo Silvestre traz Mata Hari (lendária dançarina e espiã da Primeira Guerra Mundial) como tema do desfile cheio de detalhes e brilhos tipicos dos anos 40, mas  com muitos tecidos diferentes entre si (de brocados a  moletom!!!), além de misturar looks casuais, para festa, conceituais, comerciais; estampas e lisos. Foi um pouco de mistura demais, que prejudicou a leitura das intenções do estilista (mas ele é jovem e, portanto, quis ousar).

A No hay banda, de Bruna Santini, Juliana Magro e Claudia Mine, trouxe um  inverno fresquinho, inspirado pelo bicho-da-seda (apesar de ter tricô e couro, trouxe a leveza da seda). Foi uma coleção de muito preto, com pegada sexy + rocker (que se via nos curtinhos de couro fake) e os mais “festeiros”, além dos looks para trabalhar, onde se viu chiffon, cetin, palha, georgete e tecidos de aparência rústica. 
 

 R.Rosner mostrou uma moda festa extravagante, inspirada na avó do estilista que estaria fazendo 100 anos em 2009, cuja luva foi usada para estampar as peças, que tiveram a trama da renda ampliada e impressa em tule ou seda, aparencendo algumas vezes numa versão brilhante e outras em versão brocado.

A coleção é composta de looks de desenhos modernos, em cores que vão dos rosas aos pretos e brancos. Apareceram leggings de tule estampadas para festa e peças com canaletas de paetês, muito bem executadas e que apresentaram ótimo efeito.

Por fim, vimos as estampas e visuais kitsch de Urussai, de Catarina Gushiken, estreante na passarela da Casa de Criadores. E ela veio com a  história da Yakuza, trazida por ela para o mundo feminino.

O melhor da marca é a malharia e a estamparia, além da lingerie e da alfaiataria. Surgiram plissados nervuras nas calças, dando-lhes um belo movimento, bem como um bonito trabalho nas mangas, que, ao lado das estampas, conferiram um caráter comercial  à coleção.

O segundo desfile do dia 25/11 foi de Milena Hamaní, que trouxe como tema o pintor francês Toulouse Lautrec. Vimos uma coleção doce, de cores delicadas e tons pastéis, em modelos ora fluidos, ora volumosos.

Surgiram, então, lingeries sensuais e ao mesmo tempo comportadas: eram vestidos-camisola (para dormir ou para sair?), colants com mangas princesa e corsets; eram babados, vestidos, maxi-polainas e um xale, em pontos vintage de tricô.

Mas, à medida que o desfile evoluía, as cores mudaram, passaram dos pastéis para azul turquesa e preto. Mas nada era vulgar. Os acessórios propostos eram feitos de fio de ouro e pedras preciosas, super charmosos!

No 3º dia da Casa de Criadores (quarta-feira, 25/11) rolou mais palestra (“Crise: material reciclado?”, com Geni Ribeiro, na Pinacoteca), debate (“Caos por M2″, na Pinacoteca) e vários desfiles, agora no Shopping Frei Caneca: João Pimenta, Milena Hamaní, Ronaldo Silvestre, No Hay Banda, R. Rosner e Urussai.

João Pimenta trouxe como tema a missa dos vaqueiros nordestinos, em uma coleção com uma cartela de cores de tons terrosos (mel, âmbar, caramelo, camelo e tabaco) e tecidos rústicos (linho, couro, camurça e malhas). Eram aventais, vestidos e cinturas marcadas, modelagens ousadas feita para um homem bruto, viril: os modelos apareceram com apliques de barbas, bigodes ou cavanhaques (como os coronéis nordestinos!!).

%d blogueiros gostam disto: