Patachou

A gente já tinha visto na 27° Casa de Criadores e agora vemos de novo no Fashion Rio a “idéia” de deixar a máscara de cílios de lado no próximo verão.

Vários profissionais optaram por deixar os cílios ao natural nas passarelas, caso de Augusto Rebelo (responsável pela beleza de Cynthia Hayashi e Yoon Hee Lee) e Robert Estevão (fez o make das Gêmeas, onde as modelos ganharam sombra dourada e batom fúcsia – e nada de rímel!!). Já o beauty artist Paulinho Filatier (para Melk Z-da) colocou todo o foco na boca (usou um batom laranja, a cor Morange, da M.A.C), enquanto o maquiador Lavoisier (que fez o make para as Filhas de Gaia) apostou nos cabelos frisados para dar força ao visual das modelos.

Robert Estevão e o make das Gêmeas

Melk Z-da: rímel zero e bocão quente com batom laranja Morange, da M.A.C.

Filhas de Gaia: cabelos frisados

Cavendish: cílios coloridos em alta

O mesmo Robert Estevão fez o make da Patachou no Fashion Rio e, como já havia dado a dica no Minas Trend Preview, confirmou a tendência do olho sem nada de rímel (neste caso focou os olhos com um tom forte de amarelo e gloss nas têmporas para dar um efeito molhado), tudo devidamente acompanhado de um cabelo preso “displicente”, com um “quê” de bagunçado!

Mas, e na prática, será que a tendência pega? Bem, na passarela vale tudo, só que para ficar bonita e harmônica a maquiagem precisa da máscara. E como esse Fashion Rio já mostrou de tudo um pouco, o cosmético voltou a aparecer nas passarelas, como no Desfile da Cavendish, com make de Daniel Hernandez (nesse caso, os cílios vieram ultra coloridos).

Max Weber, responsável pela beleza nas passarelas da Blue Man, fez as modelos parecerem bronzeadas (com muita base no rosto, pescoço e corpo), com rímel aplicado apens na raiz dos cílios. Daí aparece de novo Robert Estevão, dessa vez para a TNG, e desfaz a tendência que vinha criando, mas também só usa a máscara na raiz e acrescenta iluminador nas pálpebras e sombra levemente rosada no côncavo dos olhos.

Blue Man: pele bronzeada e rímel na raiz dos cílios

Qual caminho você deve seguir? Agir com discernimento nessas horas é tudo: make de passarela é só para passarela!

Mais updates do Fashion Rio: veja o que rolou no Pier Mauá no quinto dia de desfiles…

Giulia Borges

A estilista Giulia Borges usou roupas de mergulho e de surf , usou o cetim (encorpado) e desenvolveu sua coleção, fazendo vários tops, saias curtas e rodadas, shorts e vestidinhos,com recortes coloridos, franjas e “fendas” em que se pode ver a pele. Alguns poucos vestidos românticos surgiram, e, para fechar o desfile, peças em um neoprene perfurado em flores como uma laise de última geração, muito bonito.

Patachou

A marca já havia mostrado muito de sua coleção no Minas Trend Preview, cuja inspiração eram as fotos de flores e folhas do fotógrafo Nick Night, trazendo muitas peças em branco e preto, pincelads aqui e ali de amarelo ou vermelho. Foram vários vestidos curtos, ajustados com volumes de drapeados e camadas de tecido, ou com grandes pastilhas ou gotas translúcidas.

British Colony

A British Colony, de Maxime Perelmuter, volta a desfilar sua roupa de extremo rigor técnico – e veste muito bem. A grande estrela é a coleção masculina, com os ternos (curtos, com um botão só!) de tecidos finos de camisaria, tipo chambray, linhos e tecnológicos. As meninas tiveram reservados para elas vestidos tipo alfaiataria e sapatos oxford com recorte nas laterais, em vinil.

Juliana Jabour

Juliana desenha para mulheres jovens e antenadas, por isso trabalhou detalhes, brilhos, e fez vestidos leves, sexy e bem cortados, cobertos por paletozinhos cheios de detalhes, debruns e babados, além de shorts e as micro saias. Uma coleção bem bonita e que deve agradar ao seu público.


Carlos Tufvesson

O destaque na coleção do estilista, que aprecia – e muito – o exagero, foi o cocktail dress, mas muito curto, cheio de drapeados e faixas cruzadas nas costas, numa cartela de cores vivas e estampas multicoloridas.  Tem também peças em malha de aço, prateada ou dourada com paetês pretos, além de, veja só, jeanswear e beachwear.

Espaço Fashion

Na contramão de um verão que se anuncia pendendo para um certo minimalismo, com pegada esportiva, a Espaço Fashion mostrou uma coleção cheia de tecidos e texturas, algo volumoso demais para a estação, cheia de drapeados, recortes…

Há boas estampas digitais, novamente aparecendo o floral, além de abstratos. Peça chave da coleção, os bustiês se mostram na passarela e devem permanecer fazendo sucesso nas araras das lojas.

Com a proximidade da edição de primavera-verão 2010/11 do SPFW,  nada melhor do que prestarmos atenção nos indicativos que o Minas Trend mostrou recentemente e nos prepararmos para o que vem aí. Pelo que pôde ser visto, as tendências do outono-inverno têm continuidade: as lingeries continuam aparecendo, assim como a moda bem esportiva e o militarismo. Adicione-se a eles elementos femininos e sensuais, como laços, drapeados, cinturas marcadas e transparências.

É sempre bom ficar por dentro do que as marcas mostram em Minas, normalmente as tendências ali mostradas são um “termômetro” do que será visto no Fashion Rio e na São Paulo Fashion Week, principalmente porque marcas como Alessa, Cavalera e Patachou participam de mais de um line-up.

O tema do Minas Trend, nesta edição foi a “Água”, o que inspirou diversas grifes a explorarem a sustentabilidade, temáticas ambientais e a natureza, seja nas coleções, na cenografia ou no styling. A Iódice já divulgou que traz a sustentabilidade para as passarelas e, pelo que se pode ver, não estará sozinha…

Confira um pouco do que rolou por lá!

Faven

Victor Dzenk

Graça Ottoni

Patrícia Motta

Patachou

Esse foi o retorno da Patachou às passarelas, regida pela estilista Erika Frade, e precisando mostrar que continua tão boa quanto na época em que Tereza Santos estava à frente da marca. Infelizmente, não inovou, caiu na mesmice, como tantos outros desfiles dessa edição do Fashion Rio.

Novamente, ombros em evidência (arredondados, marcados, pontudos), leggings, coats com o shape de ovo e vestidos tipo tulipa.

Viram-se volumes errados na malha de metal e na estampa de anfíbio em chiffon e cores pouco criativas. Pena, também, que não vieram os tricôs que fizeram a fama da grife (e são tendência na estação), à exceção de um bom casaco tipo casulo, com textura amassada. Acertou, no entanto, no veludo dublado de neoprene.

 

Podemos considerar como dois dos melhores desfiles dessa temporada do MTP os desfiles das marcas jovens Chouchou (segunda marca da Patachou), e a Faven.

A estilista da Chouchou é Érika Frade e trouxe como inspiração para as passarelas o tema “Rock meets Love”. As cores mais utilizadas na coleção são o branco, o cinza, o amarelo, verde, rosa, roxo, laranja e o cáqui, com tecidos e texturas de moletom, malhas diversas, voil de algodão, cirré e denim com lavagem. Os comprimentos bem curtos e joviais estão presentes por toda a coleçao.

Chouchou2Chouchou3Chouchou4Chouchou5Chouchou6Chouchou1

A Faven, coordenada por Sonia Moreira e Natália Pessoa, e os assitentes Taís Menezes e Luiz Claudio, trouxe uma coleção que tem o tricot como ponto de partida e peças bem coloridas, mas também bastante preto e cinza. As saias aparecem em diversos modelos e comprimentos.

faven2faven3faven4faven5faven6faven1

%d blogueiros gostam disto: