Com o final da Semana de Moda de Nova York, conseguimos identificar várias tendências – se é que podemos falar em tendências – que apareceram nas passarelas para o outono 2011 do hemisfério norte. Pregas e xadrezes estiveram presentes, ao lado de cores fortes, calças de boca larga e casacos super luxuosos, que também apareceram e devem surgir como tendência para a estação. Na verdade, essa temporada marcou a volta ao conservadorismo – e isso agora é que é moderno! Em especial, devemos isso a Marc Jacobs que, após uma coleção inspirada na Disco Fever, veio contido, com ares de “camisa de força”…

Marc Jacobs apostou, junto com essa “caretisse”, em botas de plataforma, casacos de vinil e, para trilha sonora, “The Beautiful People”, de Marilyn Manson. Sim, essas moças são meio vítimas da moda, usam os pois, ícones do tradicional – nem sabem por que usam, apenas usam! Aliás, as bolinhas (ou bolonas) aparecem também na coleção de Diane Von Fustemberg.

No geral, o tradicional apareceu nas coleções de vários estilistas: Tommy Hilfinger, Rodarte, Carolina Herrera e Carlos Miele, entre outros. Com predominância de peças avulsas, para serem usadas e misturadas entre si, as silhuetas estão mais soltas, mais fáceis de usar. Os comprimentos das saias podem ser no joelho ou longas, para agradar a todas as mulheres, marcando a volta, inclusive, das saias entravadas (que vão ficando justas ao longo do corpo). Amarrações no pescoço reforçam essa onda “repressiva, a excentriciade ficou para poucos!

Mais do que nunca, renovar o guarda-roupa todo está fora de propósito, o consumidor ainda está controlando seus gastos – reflexo das crises recentes. A idéia é complementar o guarda-roupa com peças novas – por isso os itens “soltos” predominando…

Apesar de estarmos apenas no meio do caminho da Semana de Moda de Nova York – e claro que ainda é muito cedo para apontarmos tendências – já há algumas coisas interessantes que merecem destaque.

Para os lábios, o coral tem aparecido bastante, assim como olhos fortes e bem marcados – não juntos, claro, um de cada vez! Quanto aos cabelos, estes tem bastante textura, meio “desarrumados” e, nas unhas… um cinza cor de ardósia parece que irá governar o próximo outono.

Se o make é muito bem pensado, segundo as passarelas de Nova York, os cabelos estão despojados, quase “bagunçados”!

As cabeças continuam tomadas pelos coques, mas eles estão mais baixos e desarrumados, cheios de fios soltos (Diane von Furstenberg, Tadashi Shoji, Rag & Bone, Proenza Schouler e Nicole Miller)… Também tem cabelo “à la Bardot”, com aquele volume no topo da cabeça, numa versão mais “bagunçadinha” (Vera Wang, Derek Lam, Naeem Khan e Custo Barcelona).

Os cabelos soltos também apareceram nas passarelas, ainda “revoltos” e bem volumosos, ora frisados, ora cacheados (Marc Jacobs, Z Spoke By Zac Posen e Port 1961). Mas também tiveram vez os mais certinhos, só que presos por bonitas peças tipo fivelas ou presilhas (Rodarte, Carolina Herrera, Prabal Gurung, Cynthia Rowley).

As passarelas da semana de moda de Nova York, que terminou no último dia 16, mostraram tendências bem definidas em termos de maquiagem e cabelos. Enquanto estes são bem despojados, quase “descuidados”, o make é bem pensado e ocupa lugar importante no look final.

Os olhos são pintados por sombras em cores primárias, cobrindo toda a pálpebra (Oscar de la Renta) ou apenas como delineador (Dennis Basso). Visual de atitude, a usuária definitivamente precisa “carregar”… A boca, por sua vez, é laranja, em diversos tons, dos mais vivos aos fechados, brilhantes ou opacos (Marc by Marc Jacobs, Jill Stewart, Lacoste, Vena Cava, Lela Rose, Z Spoke by Zac Posen)!

E, mais uma vez, olhos sem máscara (Michael Kors, Alberta Feretti, Thakoon, Prabal Gurung), para deixar o visual mais leve depois de tanta cor, como já havíamos visto nas semanas de moda brasileira.

A moda que vimos em Nova York na temporada do verão 2011 da fashion week americana, que terminou ontem, mostrando um perfume setentista, uma moda que exalta o estilo de vida da metrópole mais agitada dos Estados Unidos: a própria Nova York!

Quem deu o start foi Marc Jacobs, que exaltou o famoso clube Studio 54, criado em 1977, onde aconteceram festas memoráveis, lotadas pelas celebridades da época. Outras referências foram a atriz Jodie Foster, no filme “Taxi Driver” (1976), os roqueiros ultra-paramentados do New York Dolls e as criações de Yves Saint-Laurent, que brilhava na década de 70. Trouxe para a passarela vestidos esvoaçantes, macacões longos, além das cores dos anos 70, como marrom, roxo, laranja e vermelho, em desfile aberto pela modelo alemã Luisa Blanchin, o rosto mais comentado do momento.

Já as grifes Tommy Hilfinger e Lacoste mostraram o um estilo”esportivo-chique”, típico do Upper East Side: a primeira revisitando o “preppy” (estilo “mauricinho” americano!) e a segunda, bem setentinha, exaltou os looks de veraneio da época (trouxe até as trancinhas de Bo Derek no filme “A Mulher Nota 10”, de 1979). A Tommy, aliás, comemora seus 25 anos, sagrando-se uma das mais importantes representantes do estilo esportivo da moda dos EUA. Seu desfile esteve lotado de celebridades na primeira fila (Jennifer Lopex, Christina Hendricks e Ed Westwick, entre outros).

Jason Wu, estilista queridinho de Michele Obama, veio buscar inspiração no Brasil, mais precisamente na artista Beatriz Milhazes. E aí, enveredando pelo lado brasileiro, teve Carlos Miele, que animou seu desfile com trilha sonora ao vivo de Bebel Gilberto, e não desapontou suas fãs, mantendo seus modelos sexies e com detalhes feitos à mão, e também Alexandre Herchcovitch, novo queridinho de blogueiros como Bryan Boy, considerado um dos mais influentes da web.

Diane Von Furstemberg também exaltou os anos 70, em charmosa coleção, e Carolina Herrera mostrou muito luxo na passarela. Aliás, as coleções foram, em sua maioria, luxuosas interpretações da tendência setentista, bem como do esportivo de luxo…

No último domingo, 12/09, Tom Ford mostrou sua primeira coleção pós-Gucci. Mas, para não terminar totalmente com o “suspense”, o estilista fez com que todos os jornalistas e editores convidados (pouquíssimos, diga-se de passagem) assinassem um termo de compromisso garantindo que o que aconteceu dentro de sua butique da Madison Avenue, em NY, permaneça confidencial.Além disso, baniu totalmente câmeras e fotógrafos, para evitar que qualquer imagem fosse divulgada.

As fotos só puderam ser tiradas por Terry Richardson – e só devem ser divulgadas em janeiro de 2011, data da chegada da coleção às lojas. Mas, com tantos celulares, impossível não virar um fotógrafo, ainda que amador,só para ter um gostinho… Cathy Horyn não se fez de rogada e clicou algo que pode ser considerado uma prévia do que vem por aí. Ela publicou em seu blog “On The Runway” duas imagens do evento.

Na passarela, desfilando os looks de Ford, apenas amigas e celebridades, em especial sua “queridinha”, Lou Doillon. Também desfilaram Beyoncé, Julianne Moore, Daphne Guinness e Marisa Berenson, bem como algumas modelos. E os comentários dos editores foram positivos – sinal de que a coleção agradou.

Tom Ford and Daphne Guinness no desfile de Tom Ford.

Beyoncé Knowles.

Fotos: Cathy Horyn/Reprodução

Você já visitou a exposição Jorney of a Dress, no Shopping Iguatemi, uma retrospectiva da vida e da carreira de Diane von Fustenberg? Além de estar o máximo, a exposição está propondo um concurso cultural cujo prêmio é uma passagem com direito à acompanhante para Nova York durante a semana de moda (em setembro), com direito a assistir ao desfile da estilista e ainda ser um dos convidados da “after-party” do desfile.

Para participar, o visitante da mostra precisa inventar uma resposta criativa para a seguinte pergunta proposta: “se você pudesse fazer uma pergunta à Diane von Furstenberg, qual seria?”.

%d blogueiros gostam disto: