Tudo combinando

07/04/2011

Depois de tanto tempo nos preocupando com o mix & match, fica difícil imaginar a volta dos conjuntos… Lembra? No auge dos anos 70 essa era a regra, resgatada agora por grifes como Marc Jacobs, Yves Saint Laurent, Marni, Alberta Ferretti, Michael Kors e Salvatore Ferragamo, além dos brasileiros Tufi Duek e Lucas Nascimento.

Mas não pense que o quesito criatividade fica para segundo plano: para ser atual, tem que buscar texturas diferentes e cores impactantes…

 

Lucas Nascimento Fashion Rio Inverno 2011

Lucas Nascimento, destaque do Fashion Rio, estréia na SPFW à frente da grife paulista Ghetz no próximo dia 29. Expert em tricô, o estilista foi contratado pela Ghetz para ser o diretor de criação da marca. A Ghetz, apesar de seu perfil industrial, quer entrar para o mercado de design, então tenta associar-se a um nome forte do setor, para ter maior visibilidade.

A primeira coleção sob direção do estilista é inspirada no trabalho do escultor Bruce Ingram, hype do circuito das artes em Londres. As peças serão vendidas em multimarcas, mas já existem planos para abertura de loja-conceito em 2012.

Na temporada primavera-verão 2011 do Fashion Rio, encerrado na última terça-feira, trouxe várias grifes muito boas, competentes na escolha dos materiais, acabamento e design de suas roupas. O Fashion Rio está melhor e com isso atrai mais olhares para suas passarelas, possibilitando ao evento uma possível entrada no calendário fashion global, tudo fruto de maior investimento e da criatividade do organizador, Paulo Borges, que certamente tornou a semana de moda carioca mais profissional.

Mas enfim, o que rolou de melhor por lá?

Em termos de moda praia, Lenny e Trya se destacaram. A primeira, grife ícone do beachwear chique, misturou lycra e couro, num casamento super charmoso, enquanto a Trya trouxe onças e tigres para sua passarela, num desfile cheio de bom humor.

A sofisticação do beachwear da Lenny

A trya veio cheia de bom humor

Ainda teve a Blue Man, que se destacou por trazer uma moda praia sexy na medida, recortada, estampada, mas sem exageiros…

A sensualidade sem exageiros da Blue Man

Andrea Marques apostou num mix de tropicalidades para atualizar as peças clássicas, usando cortes e recortes estratégicos. Como dizia o release da marca, a coleção celebrava a sensualidade tropical, em peças com espaços por onde se via pele e leveza de verão.

Sensualidade tropical, em look de Andrea Marques

Em termos de sofisticação e “poder”, Lucas Nascimento novamente foi destaque, mostrando suas “tramas” diferentes em um tricô leve – e muito chique, perfeito para o verão brasileiro! Seu tricotado fininho e quase transparente, parecendo tule, uma bela coleção de Lucas, que faz a gente torcer para que suas peças passem a ter exibição comercial fora da passarela.

A modelagem impecável e sofisticada de Lucas Nascimento

Com principal força no masculino, a volta da British Colony, de Maxime Perelmuter, depois de quatro anos longe das passarelas, trouxe para a passarela um primoroso rigor técnico, com uma alfaiataria bacanérrima, de personalidade e que veste bem! Mas as meninas também se dão bem com os vestidos que trazem os elementos da alfaiataria.

A moda cheia de charme da British Colony para eles...

... e para elas!

Agora é esperar o São Paulo Fashion Week, que começa na próxima semana, para decidir o que realmente vamos usar no Verão 2011!!

Veja o que rolou no último dia de desfiles:

Triya

Estreante desta edição do Fashion Rio, a grife de beachwear Trya veio “desbravar” a savana com sua coleção verão 2011, e veio levar a “selva” à passarela, com muita cor e estampas animais em 35 looks.

Isabela Fruigiuele, diretora criativa da grife, usou a lycra como tecido chave; e ela foi rasgada a laser, tricotada e colorida em tie-dye. Em cortes angulosos, transformou-se em hotpants, numa coleção feita para mulheres que gostam de bronze e água salgada, sem enfeites nada práticos.

Lucas Nascimento

O tricoteiro Lucas Nascimento mostrou um verão pesado e sombrio, meio cara de europeu, inspirado na poesia angustiada de Laurie Anderson. Usou tecidos sintéticos e inteligentes, construindo tricôs elaborados, finos, quase transparentes, como se fosse um tule. Há diversas estampas e texturas na trama, em preto e cinza ou em verde e preto.

Os vestidos e saias têm comprimentos midi, as mangas são 3/4; as calças ganham modelagem cigarrete e há macaquinhos de ciclista. Tem saiotes, aventais, bustiês, tops e babados.

Andrea Marques

Em sua coleção de verão, Andrea mostra muitas saias evasês e vestidos godês de algodão e linho, ora mais estruturados, ora fluidos, com estampas de vegetação, botões de madeira e cintinhos de lona. Na maioria, os vestidos surgem com mangas raglan , os shorts são curtos, de cintura alta e recortes jogging; há barriga à mostra de novo, há rendapeças teladas, bordadas de penas e  um pouco de brilho.

Têca

Em uma coleção muito gostosa, Helô Rocha mostrou uma coleção em que os opostos são deliciosamente mesclados: masculino e feminino, dureza e suavidade, em uma cartela de verde militar, verde claro, cáquis, azuis e goiaba, além do branco das rendas (de bilro e renascença).

Há algumas estampas – os camuflados militares e poucos florais -, em vestidinhos leves e veranis, combinados as jaquetas militares e sandálias pesadas, e as calças têm modelagem evasê. Os tecidos são o linho, a seda metalizada, a sarja e o algodão suíço.

New Order

O desfile da New Order parecia um jardim super colorido, mas nadas sutil: a estilista Marianna Arnisaut pensou em flores carnívoras, com espinhos, insetos e nada romântica. Elementos do camping são utilizados para complementar a história. Mosquetão e cordas esportivas são usados como cadarço para os tênis e sandálias ou como alça para as mochilas e bolsas. As estampas são florais, as cores são fortes; há metalizados, mochilões e saquinhos.

Isabela Capeto

Em sua volta ao Rio de Janeiro, Isabela Capeto trouxe um clima havaiano, inspirado na cor azul e mais uma explosão de cores: os primeiros looks são azuis, leves, transparentes e bordados; são enfeitados por conchas, búzios e corais, e ganham pegada mais hippie com as moedas e franjas. Tudo combinado com sapatos ora bem masculinos, ora com  solado anabela de corda. Os florais não faltaram nem aqui, e são baseados no hibisco

Lucas Nascimento mostrou nas passarelas os megassapatos do inglês Klaus Schimidt, de beleza digamos… duvidosa! São babuches, que dessa vez vieram abotinados, e já haviam aparecido no verão 2010 da TNG, além daqueles vistos no desfile da Chanel para a mesma estação.

Você usaria?

Estreante no no Fashion Rio e especialista em tricô, Lucas Nascimento é velho conhecido no circuito da moda. Já desenvolveu peças para Giles Deacon e Basso & Brooke, no exterior. No Brasil, para Amapô, Juliana Jabour e Ellus 2nd Floor, entre outros.

Seu desfile surpreendeu pela criatividade nos materiais, mostrando uma diversidade de texturas, que vão do “ripple” (ondulações que se abrem à medida que se anda), passando por um neoprene fake, malhas douradas de metal com seda e escamados e, finalmente, uma mistura (ou o que quer que o valha) de mohair  com lamê .

Investiu muito nos ombros e na silhueta, mostrou sobreposições, algumas coisas meio “kitch”, além de uma pitada de sensualidade…

%d blogueiros gostam disto: