A locomotiva da Louis Vuitton encerrou a Semana de Moda de Paris em grande estilo, trazendo de volta o luxo característico do evento, aposentado por algumas edições por causa da crise econômica que assolou o mundo!!

A temporada outono-inverno 2012/2013 foi marcada pela fantasia e pelo humor: Stella McCartney sport-chic moderna, a diva da Lanvin, a cigana da Chanel, cowgirl fetichista da Givenchy ou a nerd da Balenciaga. E foi marcada também pela “permissão” para usar o kitch: evolução do cafona para atual, autorização em grande estilo, assinada pelas grandes grifes.

Após anos mostrando o básico e minimalista, a moda assinalou o retorno do luxo, do over, do maximalismo, como que incentivando o consumo através da fartura…

Bom humor em Paris

06/03/2012

A Semana de Moda de Paris continua divertiva: criatividade nostálgica e celebrações a mil!!

Começando pela Lanvin, que celebra os dez anos de Alber Elbaz na grife, com direito a champanhe, carrinhos de doces, salgados e bolos de aniversário na passarela. No final do desfile, o próprio Elbaz deu uma “palhinha” ao microfone, convidando todos os convidados a um coquetel dançante. Quanto ao que interessa: uma coleção bem over, cheia de pedraria, brilhos, peles… Os fashionistas responderam com gritos e muitos aplausos!

Ricardo Tisci, da Givenchy, colocou cow girls na passarela: muito couro, em looks sexies e fetichistas, misturadas a calças estilo bombacha e roupas de dançarinas de saloon. Para acompanhar, botas suuuuper longas e lenços.

Até a Hermès entrou na onda dos pampas, mas com bombachas mais “clean”, bem ao estilo fazendeira de luxo.

Os homens vivem reclamando da falta de opções modernas para compor seus looks – sem obviamente perder o conforto, item que eles não dispensam. Mas a Givenchy, em sua coleção de inverno 2010, trouxe uma linha de tênis de cano alto e design futurista, com cores sóbrias e composições geométricas, perfeitos para os homens esportivos que querem estar bem vestidos, mas sem perder o foco no conforto. Dependendo do ambiente de trabalho, se for bem informal dá até para trabalhar com eles.

Os itens são de extremo bom gosto, ousados e modernos e trazem opções inteligentes e diversificadas.

O Fashion Rio aconteceu em clima de nacionalismo, tendo como mote a Copa do Mundo de 2014 e as Olimpíadas de 2016. Infelizmente não foi o que vimos na passarela, as grifes estiveram mais imitativas do que criativas, viu-se mais do mesmo – e várias vezes! Foi tanto Balenciaga, Lanvin, Givenchy e Dolce & Gabana que deu para enjoar. Claro, houve exceções, a exemplo da brilhante estréia de Lucas Nascimento e o belo desfile do pernambucano Melk Z-Da, mas no geral, vimos “tendências” vindas diretamente do exterior, como o militarismo, o rock/punk, o orientalismo.

A moda veio menos “democrática”. Explico: se você não ficar bem com determinadas peças, esqueça, porque é o que você cansará de ver nas lojas até o fim do inverno, já que aquela diversidade que vínhamos encontrando nas últimas temporadas não foi contemplada nessa edição do Fashion Rio. Sim, é possível tirar as tendências da próxima estação, assim você já pode ir se programando e sabendo, de antemão, o que poderá – ou não – estar no seu closet quando as grifes começarem a colocar seus produtos nas lojas:

1 – Pele, de preferência sintética e pelúcia;

2 – Ombros em evidência, sejam pontudos ou redondos (em paletós e jaquetas curtas);

3 – Brilho (tipo lurex ou em bordados cada vez mais cheios de detalhes);

4 – Babados, muitos!, de vários tipos e tamanhos;

5 – Short tipo ciclista, sob saia ou vestido;

6 – Saias muito curtas;

7 – Ankle boots bem curtinhas e de salto ou sandália abotinada tipo peep toe;

8 – Neoprene;

9 – Camurça;

10 – Azul (em diversos tons);

11 – Militarismo;

12 Calças super justas, principalmente leggings.

Oi Fashion Rocks

26/10/2009

Fernanda LimafashionrockslogoAconteceu no sábado (24/10), no Jockey Clube do Rio de Janeiro, o Oi Fashion Rocks, evento que juntou moda e música num mesmo palco, com a presença de diversos artistas e marcas nacionais e internacionais. A apresentação foi de Fernanda Lima, que estava linda (usou três looks, começando por um Versace vermelho para lá de decotado!!!, depois usou um preto e outro amarelo).

O evento começou com o desfile da Versace, que mostrou muita sensualidade, acompanhada pelo rapper Puff Daddy. Em seguida, Alexandre Herchcovith (lembra de suas mangas volumosas ) junto com a banda paulista Stop Play Moon.

versacepuff daddy

alexandre-herchcovitchstop-play-moon

Depois Givenchy com a cantora Ciara e Lenny e seus maiôs recortados com a cantora Estelle. A dupla Ja Rule e Wanessa “escoltou” André Lima em seu desfille de looks arquitetonicamente construídos. Lino Villaventura veio com Daniela Mercury para mostrar seus longos esvoaçantes e Calvin Klein, do estilista  mineiro Francisco Costa, com Mariah Carey.

lennyestelle

andre-limawanessa-ja-rule

lino-villaventuradaniela-mercury

calvin-klein 2mariah-carey

Para fechar, parceria de Grace Jones e Marc Jacobs, o único que não compareceu ao evento no Rio.

A crise pode até estar dando sinais de adeus, já que ontem as Bolsas do mundo se animaram com a notícia de que o JP Morgan obteve no terceiro trimestre lucro 580% maior que o do mesmo período do ano passado.

Bom sinal, sem dúvida. Mas os reflexos da crise puderam ser vistos na última semana de moda francesa que, em tempos de contenção econômica, priorizou uma moda mais “pé no chão”, sem tantos luxos e ousadias, porém sem perder o glamour.

A tarefa criativa esteve um pouco mais árdua nesta temporada, porque baixar custos não pode significar cair no lugar comum, há que se buscar sempre a novidade e continuar irresistível!

A Chanel, por exemplo, apresentou uma coleção contemporânea, de cores suaves e formas leves, porém indiscutivelmente sexy. Aliás, essa é a palavra de ordem da temporada: sensualidade, que aparece em looks muito curtos (curtíssimos!!!), fendas, decotes, lingeries aparentes… enfim, corpo à mostra.

Chanel Primavera-Verão 2010Chanel 8Chanel 6

 As silhuetas são soltas, os tecidos vaporosos, à exceção da Balenciaga e Balmain. Houve, também, o oposto, com a introdução de elementos do guarda-roupa masculino, ombros fortes, cinturas marcadas, caso da Dior.

Dries Van Noten Primavera-Verão 2010Balmain Primavera-Verão 2010 Balenciaga Primavera-Verão 2010Dior Primavera-Verão 2010

Hussein Chalayan apresentou seu smoking desconstruído, Balenciaga abusou das geometrias, Stella Mc Cartney misturou renda e alfaiataria. A Maison Martin Margiela “recortou” suas peças, Givenchy veio cheio de grafismos. 

Chalayan 2Hussein Chalayan Primavera-Verão 2010Stella Mc Cartney Primavera-Verão 2010 

 

Margiela Primavera-Verão 2010Givenchy Primavera-Verão 2010Louis Vuitton Primavera-Verão 2010

 Houve flores, muitas delas… mas ainda restou alguma referência étnica, assim como os nudes, beges, branco, rosa e preto.

Chanel Primavera-Verão 2010Miyake Primavera-Verão 2010Hermés Primavera-Verão 2010Givenchy Primavera-Verão 2010

Enfim, em época de recessão, teve menos pano, menos desperdício, uma moda mais usável sem que se perdesse criatividade, inventividade… O que mais se viu, sem dúvida: o corpo da mulher!

%d blogueiros gostam disto: