Vermelho

26/01/2011

Depois de vermos o vermelho (da coleção Resort 2011 de Alexander McQueen) que Michelle Obama usou  no jantar oficial (10/01) para receber o presidente Hu Jintao, da China, quis falar um pouquinho mais sobre a cor, que apareceu – e muito – nas passarelas do Fashion Rio. Deu para perceber que o vermelho será uma das cores do ano (mas ainda temos que esperar o quem vem por aí na semana de moda de São Paulo, a SPFW).

A Ausländer, por exemplo, mostrou a calça de couro vermelho(que foi uma febre no hemisfério norte!).

Calça de couro vermelha, da Ausländer

Se gostar de ousar, pode investir no look vermelho total, mas tem que ter em mente que os acessórios e complementos precisam ser super neutros! Quem é mais comedido, pode apostar em acessórios vermelhos, como fez a Maria Bonita extra e sua sapatilha bailarina colorida – linda!

Sapatilha bailarina vermelha, da Maria Bonita Extra

Mas talvez o melhor mesmo seja escolher uma peça, aquela que chamamos de curinga, que completa vários looks e vale cada centavo investido. Tem que ser uma peça de qualidade – bom corte, tecido, caimento, acabamento… Vale vestido, casaco, casaqueto, ou seja, se for para usar como terceira peça ou sobreposição, é sucesso garantido.

Sobreposições, da Redley

Quem já andou mostrando um pouco do Inverno 2011 foi a Cris Barros, que divulgou no Twitter algumas fotos do making off da campanha. E adivinhe? Vermelho:

Making off da Cris Barros, inverno 2011

 

Anúncios

Lucas Nascimento Fashion Rio Inverno 2011

Lucas Nascimento, destaque do Fashion Rio, estréia na SPFW à frente da grife paulista Ghetz no próximo dia 29. Expert em tricô, o estilista foi contratado pela Ghetz para ser o diretor de criação da marca. A Ghetz, apesar de seu perfil industrial, quer entrar para o mercado de design, então tenta associar-se a um nome forte do setor, para ter maior visibilidade.

A primeira coleção sob direção do estilista é inspirada no trabalho do escultor Bruce Ingram, hype do circuito das artes em Londres. As peças serão vendidas em multimarcas, mas já existem planos para abertura de loja-conceito em 2012.


Finalmente os estilistas mostraram nas passarelas coleções compatíveis com o clima do inverno brasileiro: deixaram de lado um inverno escuro, pesado, trazendo às passarelas peças mais leves e coloridas. Saem de cena o excesso de pele e couro, as cores escuras e pesadas e entram os tricôs (Lucas Nascimento explorou novas texturas e volumes) e casacos mais leves (Walter Rodrigues, por exemplo, veio com parkas e coletes), acompanhados por estampas e cores mais alegres (Andrea Marques e seus vestidos coloridos e elegantes, a Cantão para as mais jovens e cheias de estilo).

Entre as referências mais difundidas, certamente o elemento esportivo permeou várias coleções. Ainda estiveram presentes brilhos (Coven), bordados e elementos étnicos, como em coleções anteriores. Inspirações mil, entre as quais uma que se destacou e foi bastante comentada: os uniformes de balé, da Maria Bonita Extra, onde os elementos esportivos estavam a mil. Também vimos muita forma geométrica, o minimalismo e o navy (da British Colony, que fez o melhor desfile da temporada), além de looks bem anos 70, algo meio “desencanado” meio “chique” (vide as saias em versões lisas e estampadas da Totem)… E o streetwear esperto do Rio, onde a malharia e alfaiataria foram a base para a Readley e o jeans, acompanhado de malhas e tricôs, para a TNG.

Merecem destaque, também, os desfiles do Fahion Business, que tiveram uma produção mais pensada e levaram às passarelas nomes como Mara Mac e Cavendish, que antes desfilavam no Fashion Rio. Outros nomes de destaque: Francesca Romana Diana e Carlos Miele.

A partir do próximo dia 10 e até o dia 15, o Rio de Janeiro mostra as coleções de inverno 2011 das principais grifes cariocas. São 25 marcas desfilando sob o tema “Alma Carioca – As Pessoas, uma celebração”. A 13ª edição do Prêmio Rio Moda Hype, que irá celebrar dez novos estilistas, abre as atividades da temporada no dia 10.

Há 2 desfiles fora do Píer: Cantão (desfila no Parque Lage) e Walter Rodrigues (desfila no Instituto Superior de Educação). E há algumas baixas nesta edição do evento – além de Juliana Jabour, como já contamos, também não desfilam Isabela Capeto, Claudia Simões e Graça Ottoni, além das grifes de moda praia.

Confira o line-up completo do Fashion Rio Inverno 2011:

10/02 – segunda-feira

19h – Rio Moda Hype
20h – Rio Moda Hype

11/01 – terça-feira

18h – Alessa
19h – Filhas de Gaia
20h – Melk Z-Da
21h – Patachou

12/01 – quarta-feira

18h – Acquastudio
19h – Maria Bonita Extra
20h – Coven
21h – Giulia Borges
22h – British Colony

13/01 – quinta-feira

11h – Walter Rodrigues
18h – Têca
19h – Totem
20h – Printing
22h – TNG

14/01 – sexta-feira

11h – Cantão
18h – Coca Cola Clothing
19h – Redley
20h – R.Groove
21h – Espaço Fashion
22h – New Order

15/01 – sábado

18h – Nica Kessler
19h – OEstudio
20h – Andrea Marques
21h – Lucas Nascimento
22h – Ausländer

Apesar do calor… sim, será dada a largada da temporada outono-inverno 2011 do Fashion Rio, na próxima 2a. feira (10/01), dia dos desfiles dos novatos do projeto Rio Moda Hype. Na 3a. feira (11/01), rolam os desfiles do line-up oficial, que terá algumas ausências, caso de Juliana Jabour, mais nova integrante do São Paulo Fashion Week.

O Fashion Rio acontece, como nos anos anteriores, no Pier Mauá. Concomitantemente o lugar abriga a mostra “Alma Carioca”, com fotografias e um documentário dirigido por Richard Luiz (também diretor de “Top Models – Um Conto de Fadas Brasileiro”, para a SPFW), com depoimentos sobre as belezas do Rio de Maxime Perelmuter, Mário Testino e Gilberto Gil, entre outros.

Antes, no domingo, começa a 17a. edição do Fashion Business, feira de negócios e desfiles comandada por Eloysa Simão (concorrente do Rio-à-Porter, feira que faz parte do Fashion Business, ambos comandados por Paulo Borges) e traz nomes como Cavendish, Santa Ephigênia e Mara Mac, além de Carlos Miele, que desfila em Nova York.

Logo da 29ª edição do São Paulo Fashion Week, que ganhou motivos geométricos de cata-ventos.

Foram anunciadas as datas da 18ª edição do Fashion Rio e da 30º edição do SPFW para lançamento das coleções do inverno 2011. Quem abre a temporada é o Fashion Rio, que acontece entre os dias 11 e 15 de janeiro de 2011, no Pier Mauá. Em paralelo, o Rio-À-Porter (salão de negócios de moda e design oficial do evento) acontece a partir do dia 12 de janeiro, com três dias de duração.

O São Paulo Fashion Week, evento de moda paulista, acontece de 28 de janeiro a 2 de fevereiro, no Pavilhão da Bienal do Parque do Ibirapuera.

Na temporada primavera-verão 2011 do Fashion Rio, encerrado na última terça-feira, trouxe várias grifes muito boas, competentes na escolha dos materiais, acabamento e design de suas roupas. O Fashion Rio está melhor e com isso atrai mais olhares para suas passarelas, possibilitando ao evento uma possível entrada no calendário fashion global, tudo fruto de maior investimento e da criatividade do organizador, Paulo Borges, que certamente tornou a semana de moda carioca mais profissional.

Mas enfim, o que rolou de melhor por lá?

Em termos de moda praia, Lenny e Trya se destacaram. A primeira, grife ícone do beachwear chique, misturou lycra e couro, num casamento super charmoso, enquanto a Trya trouxe onças e tigres para sua passarela, num desfile cheio de bom humor.

A sofisticação do beachwear da Lenny

A trya veio cheia de bom humor

Ainda teve a Blue Man, que se destacou por trazer uma moda praia sexy na medida, recortada, estampada, mas sem exageiros…

A sensualidade sem exageiros da Blue Man

Andrea Marques apostou num mix de tropicalidades para atualizar as peças clássicas, usando cortes e recortes estratégicos. Como dizia o release da marca, a coleção celebrava a sensualidade tropical, em peças com espaços por onde se via pele e leveza de verão.

Sensualidade tropical, em look de Andrea Marques

Em termos de sofisticação e “poder”, Lucas Nascimento novamente foi destaque, mostrando suas “tramas” diferentes em um tricô leve – e muito chique, perfeito para o verão brasileiro! Seu tricotado fininho e quase transparente, parecendo tule, uma bela coleção de Lucas, que faz a gente torcer para que suas peças passem a ter exibição comercial fora da passarela.

A modelagem impecável e sofisticada de Lucas Nascimento

Com principal força no masculino, a volta da British Colony, de Maxime Perelmuter, depois de quatro anos longe das passarelas, trouxe para a passarela um primoroso rigor técnico, com uma alfaiataria bacanérrima, de personalidade e que veste bem! Mas as meninas também se dão bem com os vestidos que trazem os elementos da alfaiataria.

A moda cheia de charme da British Colony para eles...

... e para elas!

Agora é esperar o São Paulo Fashion Week, que começa na próxima semana, para decidir o que realmente vamos usar no Verão 2011!!

Ainda é cedo para apontarmos as “tendências” para verão 2011 – aliás eu não gosto muito desse conceito de tendências, acho que a moda está cada vez mais democrática. Além disso, cada um tem uma silhueta, um estilo, um gosto pessoal… e tudo isso tem que ser levado em conta, aliado a muito bom senso, claro, na hora de escolher cada peça que vai para nosso guarda-roupa. Mas podemos mostrar o que as grifes cariocas propuseram em suas coleções para escolhermos! E, a bem da verdade, as passarelas cariocas trouxeram uma diversidade de idéias…

Moda praia: não poderia ser diferente, sendo o Rio o berço do beachwear brasileiro, as grifes mostraram modelos super elaborados, com babados, recortes, alças, drapeados, estampas, bordados e metais, para a gente desfilar em grande estilo pelas praias e piscinas no verão!

O desfile poderoso da grife paulista Trya

Vestidos: Viu-se uma infinidade de versões, na maioria curtos, mas com detalhes e modelagens diferentes: evasês, com cintura marcada, drapeados, com babados… Alguns longos apareceram, principalmente para usar no dia-a-dia, já que os vestidos de festa vieram bem curtos, e os de coquetel se dividiram entre as duas versões. Decotes mil, estampados ou lisos, em cores vivas ou bem básicas (pretinhos e nudes permanecem!).

Vestido Coral, da Cavendish

Vestido longo da Maria Bonita Extra, esvoaçante e perfeito para o calor do dia-a-dia

Vestido drapeado curtinho, de Carlos Tufvesson

Casacos/casaquinhos/casaquetos: as peças vieram curtas, ótimas para usar sobre os vestidos! E também os deliciosos cardigãs curtinhos, lisos ou estampados, para proteger do ventinho (essa peça é indispensável em qualquer guarda-roupa, tipo curingão, sabe?).

O casaqueto é a peça perfeita para sobrepor vestidos. Esse é de Juliana Jabour!

Cardigã super charmoso, da Mara Mac

Camisetas: não dá para imaginar nosso dia-a-dia sem elas, e as grifes propuseram camisetas de todos os tipos e modelos, para todas as ocasiões, silhuetas e estilos: podem ser ultra femininas, ou mais larguinhas, com mangas bem curtinhas, regatas, com detalhes de efeito (bordado de metal, paetê, estampa, mistura de materias e texturas…).

Camiseta regata da coleção da Têca

Camiseta justinha, Aüslander

Camiseta com estampa gráfica, Patachou

Top/bustiê: uma novidade é a volta da barriguinha de fora, com o ressurgimento do bustiê (será que a peça pode ser adequada fora da praia? Bom senso, gente…).

Bustiê do tricoteiro Lucas Nascimento

Em cetim, todo recortado, desfilado na passarela de Giulia Borges

Calças: como novidade, surge o modelo alicate (sabe as pernas tortas dos cowboys?), mas continuam as cenoura, as skinny… ainda usadas em comprimento mais curto, barra dobradinha, inclusive os jeans!

A nova calça é o modelo "alicate", como esta desfilada pela Redley

Esse modelo é da Printing

Look da TNG, com a calça justinha, mais curta como pede a estação!

Cores – esse sem dúvida será um verão de muito branco; a ele, adicionem-se cores de impacto como o coral e o turquesa claro. Mas também veremos todos os pastéis e cores esmaecida, além de cores vivas e fortes (o preto nunca falta!).

Branco e coral, em look de Juliana Jabour

Look branco de Graça Ottoni

O turquesa claro, em vestido da Cavendish

Estampas: presenças marcantes dos florais e grafismos/digitais.

Estampa floral em look da Aüslander, do jeito que seu público jovem gosta!

Vestido Alessa com estampa digital

Bordados: foi o detalhe mais visto, em todo tipo de peça, desde paetês a metais, miçangas e contas coloridas.

Primoroso trabalho de bordado da Printing

Sapatos: nossos pés estão cansados de tanta altura! Na cola de designers internacionais badalados, muitas das grifes apresentaram sapatinhos baixos (de amarrar e meio bicudos, para usar no lugar das sapatilhas); mas o gosto nacional ainda exige, então lá estavam anabelas altas (diversidade de materiais aqui, com o uso de juta e outros bem rústicos), tamancos altos e as sandálias de salto altíssimo.

Sapatinho baixo, da Printing

Tamancos, de Walter Rodrigues

Essa versão é da New Order

Leitura feita por Juliana Jabour!

Materiais/texturas: crochê,  plástico transparente e malha rede.

Lindo vestido da Cavendish, todo de crochê

Tema explorado à exaustão: por conta da Copa do Mundo de Futebol, o tema África apareceu nas roupas, acessórios e detalhes.

Look afro da grife de beachwear Lenny

Novidade: ficou por conta da bermuda ciclista embaixo de vestidos!

Look da Cantão, com bermuda ciclista embaixo do vestido, uma das novidades dessa edição do Fashion Rio

Look da Filhas de Gaia reforçando a novidade!

Patachou

A gente já tinha visto na 27° Casa de Criadores e agora vemos de novo no Fashion Rio a “idéia” de deixar a máscara de cílios de lado no próximo verão.

Vários profissionais optaram por deixar os cílios ao natural nas passarelas, caso de Augusto Rebelo (responsável pela beleza de Cynthia Hayashi e Yoon Hee Lee) e Robert Estevão (fez o make das Gêmeas, onde as modelos ganharam sombra dourada e batom fúcsia – e nada de rímel!!). Já o beauty artist Paulinho Filatier (para Melk Z-da) colocou todo o foco na boca (usou um batom laranja, a cor Morange, da M.A.C), enquanto o maquiador Lavoisier (que fez o make para as Filhas de Gaia) apostou nos cabelos frisados para dar força ao visual das modelos.

Robert Estevão e o make das Gêmeas

Melk Z-da: rímel zero e bocão quente com batom laranja Morange, da M.A.C.

Filhas de Gaia: cabelos frisados

Cavendish: cílios coloridos em alta

O mesmo Robert Estevão fez o make da Patachou no Fashion Rio e, como já havia dado a dica no Minas Trend Preview, confirmou a tendência do olho sem nada de rímel (neste caso focou os olhos com um tom forte de amarelo e gloss nas têmporas para dar um efeito molhado), tudo devidamente acompanhado de um cabelo preso “displicente”, com um “quê” de bagunçado!

Mas, e na prática, será que a tendência pega? Bem, na passarela vale tudo, só que para ficar bonita e harmônica a maquiagem precisa da máscara. E como esse Fashion Rio já mostrou de tudo um pouco, o cosmético voltou a aparecer nas passarelas, como no Desfile da Cavendish, com make de Daniel Hernandez (nesse caso, os cílios vieram ultra coloridos).

Max Weber, responsável pela beleza nas passarelas da Blue Man, fez as modelos parecerem bronzeadas (com muita base no rosto, pescoço e corpo), com rímel aplicado apens na raiz dos cílios. Daí aparece de novo Robert Estevão, dessa vez para a TNG, e desfaz a tendência que vinha criando, mas também só usa a máscara na raiz e acrescenta iluminador nas pálpebras e sombra levemente rosada no côncavo dos olhos.

Blue Man: pele bronzeada e rímel na raiz dos cílios

Qual caminho você deve seguir? Agir com discernimento nessas horas é tudo: make de passarela é só para passarela!

Veja o que rolou no último dia de desfiles:

Triya

Estreante desta edição do Fashion Rio, a grife de beachwear Trya veio “desbravar” a savana com sua coleção verão 2011, e veio levar a “selva” à passarela, com muita cor e estampas animais em 35 looks.

Isabela Fruigiuele, diretora criativa da grife, usou a lycra como tecido chave; e ela foi rasgada a laser, tricotada e colorida em tie-dye. Em cortes angulosos, transformou-se em hotpants, numa coleção feita para mulheres que gostam de bronze e água salgada, sem enfeites nada práticos.

Lucas Nascimento

O tricoteiro Lucas Nascimento mostrou um verão pesado e sombrio, meio cara de europeu, inspirado na poesia angustiada de Laurie Anderson. Usou tecidos sintéticos e inteligentes, construindo tricôs elaborados, finos, quase transparentes, como se fosse um tule. Há diversas estampas e texturas na trama, em preto e cinza ou em verde e preto.

Os vestidos e saias têm comprimentos midi, as mangas são 3/4; as calças ganham modelagem cigarrete e há macaquinhos de ciclista. Tem saiotes, aventais, bustiês, tops e babados.

Andrea Marques

Em sua coleção de verão, Andrea mostra muitas saias evasês e vestidos godês de algodão e linho, ora mais estruturados, ora fluidos, com estampas de vegetação, botões de madeira e cintinhos de lona. Na maioria, os vestidos surgem com mangas raglan , os shorts são curtos, de cintura alta e recortes jogging; há barriga à mostra de novo, há rendapeças teladas, bordadas de penas e  um pouco de brilho.

Têca

Em uma coleção muito gostosa, Helô Rocha mostrou uma coleção em que os opostos são deliciosamente mesclados: masculino e feminino, dureza e suavidade, em uma cartela de verde militar, verde claro, cáquis, azuis e goiaba, além do branco das rendas (de bilro e renascença).

Há algumas estampas – os camuflados militares e poucos florais -, em vestidinhos leves e veranis, combinados as jaquetas militares e sandálias pesadas, e as calças têm modelagem evasê. Os tecidos são o linho, a seda metalizada, a sarja e o algodão suíço.

New Order

O desfile da New Order parecia um jardim super colorido, mas nadas sutil: a estilista Marianna Arnisaut pensou em flores carnívoras, com espinhos, insetos e nada romântica. Elementos do camping são utilizados para complementar a história. Mosquetão e cordas esportivas são usados como cadarço para os tênis e sandálias ou como alça para as mochilas e bolsas. As estampas são florais, as cores são fortes; há metalizados, mochilões e saquinhos.

Isabela Capeto

Em sua volta ao Rio de Janeiro, Isabela Capeto trouxe um clima havaiano, inspirado na cor azul e mais uma explosão de cores: os primeiros looks são azuis, leves, transparentes e bordados; são enfeitados por conchas, búzios e corais, e ganham pegada mais hippie com as moedas e franjas. Tudo combinado com sapatos ora bem masculinos, ora com  solado anabela de corda. Os florais não faltaram nem aqui, e são baseados no hibisco

%d blogueiros gostam disto: