Lucas Nascimento mostrou nas passarelas os megassapatos do inglês Klaus Schimidt, de beleza digamos… duvidosa! São babuches, que dessa vez vieram abotinados, e já haviam aparecido no verão 2010 da TNG, além daqueles vistos no desfile da Chanel para a mesma estação.

Você usaria?

A Printing, marca mineira de pegada romântica, trouxe para a passarela muitas pedras e paetês, aplicados nas peças de alfaiataria, em contraponto aos moulages.

As cores são inusitadas: azul-verde brilhante, verde-dourado vermelho-preto… Mas as formas equlibram cores e bordados generosos, em  camisas com mangas bufantes, saias drapeadas, paletós, hot pants e vestidos de ombro-só . Por fim, entraram estampas, também cheias de bordados. Um desfile bem com a cara da marca.

 

Estreante no no Fashion Rio e especialista em tricô, Lucas Nascimento é velho conhecido no circuito da moda. Já desenvolveu peças para Giles Deacon e Basso & Brooke, no exterior. No Brasil, para Amapô, Juliana Jabour e Ellus 2nd Floor, entre outros.

Seu desfile surpreendeu pela criatividade nos materiais, mostrando uma diversidade de texturas, que vão do “ripple” (ondulações que se abrem à medida que se anda), passando por um neoprene fake, malhas douradas de metal com seda e escamados e, finalmente, uma mistura (ou o que quer que o valha) de mohair  com lamê .

Investiu muito nos ombros e na silhueta, mostrou sobreposições, algumas coisas meio “kitch”, além de uma pitada de sensualidade…

Em sua última coleção para a Cantão, após 3 anos como diretora criativa da marca, Yamê Reis (que será substituída provisoriamente por Renata Simon, da equipe de estilo) seguiu sua linha já conhecida do público, nos trazendo suas estampas, cores e ricos bordados. O destaque foi a modelo Fernanda Lima, que abriu e fechou o desfile – na primeira entrada com um vestido bordado de palha twill e, no final, um macacão frente única de malha.

 A coleção de inverno veio baseada numa mistura de tecidos leves com muitas estampas, listas e xadrezes. Desfilaram belos tricôs coloridos em grandes quadrados assimétricos e detalhes de bordados nos ombros, além de vestidinhos curtos, saias com drapeados bordados, blusinhas e batas turcas e macacões.

O inverno de Walter Rodrigues foi inspirado, mais uma vez  (já havia feito em 1999), no japonismo, como que para dar sequência à coleção do verão 2010. Tudo muito sofisticado, chic, com looks compostos por sobreposições e muito preto (as cores fortes apareceram com parcimonia).

A coleção, apesar dos tecidos muitas vezes encorpados, mostrou silhuetas leves e fluidas. Trouxe calças curtas, quimonos e paletós, tudo acompanhado por tênis All Star (de seda!!!). Não se viu, desta vez, tantos vestidos de festa, mas sim peças para deixar a mulher chique, elegante e bem vestida.

%d blogueiros gostam disto: