Para comemorar os 15 anos da grife, a Cavalera escolheu a Casa Panamericana para debutar e mostrar uma coleção de ar roqueiro. Haviam todos os vestidos brancos de festa esperados nos bailes de debutantes, cheios de paetês, rendas, cetins e tules! Só que eram curtinhos, com saias de “bailarina”, com sobreposições mil!

Pouco se viu dos jeans da marca, mas apareceram calças justas ou boyfriend (estas em menor quantidade) e microshorts, em lavagens super claras ou absolutamente sem lavagem.

A coleção masculina mostrou os trajes para acompanhar essas meninas debutantes: smokings, mas desconstruídos! E, em seguida, paletós que viram coletes, ternos super esportivos, calças e bermudas, com pespontos nas barras.

Anúncios

Começa amanhã, no prédio da Bienal, a edição do verão 2011 da SPFW, que terá 39 desfiles até a próxima 2a. feira, dia 14/06. Quem abre o evento é a Tufi Duek (não é mais Forum, que volta a ser uma marca em si), e o encerramento fica mais uma vez para o estilista André Lima, que costuma fechar as edições com seus lindos e “grandiosos” vestidos. É em São Paulo que as tendências aparecem de fato (as passarelas do Rio ficaram apenas “amornaram” os ânimos, pura falta de novidade…).

Uma das inspirações de André Lima: a obra "Plasticomplex of Cacophony + Velocity", de Giacomo Balla, de 1914

As principais notícias, por enquanto, são a volta de Gisele Bündchen às passarelas da Colcci, que desfila pela primeira vez depois do nascimento de seu filho Benjamin há 6 meses, ao lado do ator Reynaldo Gianecchini, do domingo (13/06). Outras tops brasileiras presentes serão Michelle Alves, para a grife de moda praia Água de Coco (cuja inspiração serão os Patrimônios da Humanidade da Unesco) e Raquel Zimmermann, para Animale.

Água de Coco e os "Patrimônios da Humanidade no Brasil"

Haverá, ainda, a presença de “celebridades” e tops internacionais, como Paris Hilton para a Triton (na 5a. feira, dia 10), ao lado do ator Jonatas Faro), a tcheca Eva Herzigova pra Adriana Degreas, Chanel Iman para Rosa Chá (que promete “bombar” a Bienal com a presença ao vivo da banda Stop Play Moon).

Inspiração nos anos 70, de Adriana Degreas

Cia Marítima, segundo divulgado, trará 10 grandes nomes pra sua passarela; o time será coroado pela presença da top brasileira Isabeli Fontana, que será exclusiva da marca. Será também a estréia da grife de beachwear de Adriana Degreas na SPFW, além de nomes jovens como os de Fernanda Yamamoto (moda feminina) e João Pimenta (masculina).

Haverá, infelizmente, baixas importantes nesta edição do evento: Huis Clos, e sua segunda marca Maria Garcia, além da Carlota Joakina (segunda marca de Gloria Coelho). E algumas marcas escolheram locações fora da Bienal para montar suas passarelas, caso da Cavalera (que desfila na Casa Panamericana, no Alto de Pinheiros), da Neon (que desfila no Complexo Desportivo Baby Barioni, no bairro da Água Branca, prometendo um desfile com pegada “surfe glam-urbano” na piscina do local), e a Do Estilista, de Marcelo Sommer (também na Água Branca, desta vez na casa noturna Villa Country, em um desfile de sotaque cigano.

O baile de debutante da grife Cavalera, que completa 15 anos!!

A grife Cavalera está comemorando 15 anos e, tal qual uma debutante, escolheu a Casa Panamericana (casa típica de baile de debutantes!!) para receber seu desfile na São Paulo Fashion Week, edição verão 2011, na próxima 6a feira, dia 11/06.

De acordo com Alberto Hiar, diretor criativo da marca, a debutante da grife “é uma princesa escrachadona, com pegada rock’n’roll. Ela usa vestido preto, e não branco, como as outras”. Além disso, seu casting traz modelos veteranas, além de outros convidados “no papel de tios e amigos da aniversariante”.

A trilha sonora ficou a cargo de João Gordo! A festa promete…

Look do verão 2011 da grife Cavalera, mostrado na última edição do Minas Trend Preview

O outono-inverno 2010 da Cavalera, de Alberto Hair, vem mais rock do que nunca: a grife abriu a São Paulo Fashion Week com desfile no reduto punk-rock mais tradicional de São Paulo: a Galeria do Rock, no Centro da cidade, trazendo para desfilar, além de modelos, funcionários de lojas, frequentadores da galeria e convidados, entre eles Paulo Miklos, dos Titãs. O som (ensurdecedor), como já haviamos dito, foi de Igor Cavalera, ao vivo; na platéia, Dinho Ouro Preto, do Capital Inicial.

A coleção, de autoria do estilista Igor de Barros, trouxe muito preto, em tops e vestidos com brilhos e em jeans (manchados). A moda das meninas tem um tempero sexy para as meninas, já que o tema escolhido foi Sexo, moda e rock. Eram tachas, paetês e cristaizinhos, dando muito brilho à coleção, até mesmo nos acessórios. Tinha até um jeans resinado de dourado. paletós e coletes; o jeans é black estonado, em jaquetinhas, calças, bolerinhos e shorts.

Mostrou um ótimo trabalho de alfaitaria, com paletós e coletes em bonitas modelagens para os meninos. As estampas praticamente se resumiam à águia (logomarca do brasão da Cavalera).

O desfile da grife Cavalera, que acontece dia 17 (domingo), na Galeria do Rock, como parte do line up da São Paulo Fashion Week, terá trilha sonora assinada por Iggor Cavalera. O baterista fez até uma música especialmente para a apresentação e será tocada ao vivo no evento.

Veja alguns dos croquis das peças que serão desfiladas, divulgadas pela grife:

Essa foi a última coleção da Redley assinada pelo alemão Jurgen Oeltjenbruns, que teve, em contrapartida, a recente entrada de Emilene Galende (ex-Cavalera) e Julia Valle (que participava do Rio Moda Hype). O desfile teve seu tom sport de sempre, com surfistas e bikers.

A coleção veio correta, bem no ritmo das últimas coleções assinadas pelo alemão, sem grandes inovações, mas que agradou. Mostrou patches lisos e geométricos, grafismos, estampas; trouxe combinações de tecidos, com moletons, náilon, seda – a utilização de materiais waterproof foi bastante curiosa! Merecem destaque, também, as boas mochilas e as botas.

No masculino, a coleção foi, como sempre, a coleção foi brilhante (e sempre foi o forte da Redley), com os elementos gráficos e shapes geométricos retos ou sinuosos recortando as peças e definindo a silhueta. Adentraram a passarela bonitos cardigãs gráficos, camisas listradas, bermudas e calças, que estavam mais secas, não tão “utilitárias”.

E desta vez a coleção feminina não ficou devendo nada à masculina, uma grata surpresa, e os destaques ficam para os chemises, os vestidos molinhos – alguns com bolsos e zíperes e a estampa de tricô (é, ele apareceu aqui de novo, só que com roupagem diferente e bastante interessante).

Ontem foi o último dia do Pense Moda. Primeiro, Lars Svendsen falou sobre crítica de moda, que é uma das partes mais importantes da moda pra ele, mas atualmente está incorreta. Por exemplo, as revistas de moda não deveriam fazer crítica, já que servem de veículo para seus anunciantes. E, também, que a crítica recai apenas sobre uma pequena parte da moda, e que a crítica não é necessariamente negativa, apesar de que essa confusão acontece muito.

Lars Svendsen

A seguir, aconteceu a mesa de debates, mediada por Renata Simões, que tratou do assunto street wear, com participação de Baixo Ribeiro (Choque Cultural), Alberto Hiar (Turco Loco, da Cavalera) e Carol Sanchez (que definiu streetwear como urban wear).

Mesa de debates

Para terminar a noite – e o evento, o stylist Paulo Martinez foi sabatinado pela platéia. O assunto que mais foi abordado foi o da cópia dentro do styling. Finalizou dizendo que sempre haverá gente pedindo cópia e se isso for acontecer, que se baseie em livros de arte e não em revistas.

Paulo Martinez

Para quem é adepto do estilo street wear uma boa notícia: até o fim do mês de novembro a Redley, uma das maiores marcas de street wear carioca, abre duas lojas em São Paulo, uma no Shopping Iguatemi e outra no Shopping Market Place.

A marca, que hoje está sob a batuta do estilista alemão Jurgen Oeltjenbruns, incorporou certa sofisticação ao seu estilo praiano e desencanado, além de estar investindo no setor de roupas femininas, com a contratação de Julia Valle (ex-Rio Moda Hype) e Emilene Galende (ex-Cavalera). O resultado poderá ser visto no próximo Fashion Rio, em janeiro/2010.

Redley

Redley4

Redley2

Redley3

Não há dúvida que o jeans é um clássico, acima de qualquer moda ou tendência. Mas não pense que ele “por si só, simplesmente e sempre o mesmo” já basta. Para o Verão 2010, o que se busca é um jeans de “gente grande”, pensado, elaborado, cheio de técnicas, processos industriais. Um jeans mais especial, mais autêntico…

Estamos na temporada em que a alfaiataria, antes reservada aos ternos bem cortados e de caimento perfeito, é aplicada ao índigo nosso de cada dia, e mostra que, embora a qualidade custe caro, se for verdadeira, estamos dispostos a pagar o preço…

BalmainSão permitidas diferentes tendências, silhuetas e lavagens. Pode o jeans claro, desbotado, mas pode o jeans bruto também, super escuro, e até mesmo o black jeans.

Vale o jeans tratado, desgastado, relaxado, retalhado, patchwork (Balmain)!! Pode ter efeito de pintura (manchas, borrões, cores mil nas peças), como as de ANaked & Famouslexander McQueen, Moschino, Cavalera; pode ser degradê, em azul (Rick Owens) ou em cores fortes (DSquared, Cavalera).

Pode calça curta, pode shorts, pode colete… pode até gravata, um pouco de tudo. Mas tem que cair bem, não adianta achar legal e sair por aí com uma calça curta, que te “encurta” ainda mais… uma jaqueta croped que parece “sumir” com sua cintura… Tudo depende de seu tipo físico, que deve sempre ser respeitado para que sua silhueta esteja equilibrada e harmônica.

Triton

Auslander

Cavalera

Cavalera

Ellus

 

2nd Floor

Alexandre McQueen

Rick Owens

DSquared

%d blogueiros gostam disto: