A locomotiva da Louis Vuitton encerrou a Semana de Moda de Paris em grande estilo, trazendo de volta o luxo característico do evento, aposentado por algumas edições por causa da crise econômica que assolou o mundo!!

A temporada outono-inverno 2012/2013 foi marcada pela fantasia e pelo humor: Stella McCartney sport-chic moderna, a diva da Lanvin, a cigana da Chanel, cowgirl fetichista da Givenchy ou a nerd da Balenciaga. E foi marcada também pela “permissão” para usar o kitch: evolução do cafona para atual, autorização em grande estilo, assinada pelas grandes grifes.

Após anos mostrando o básico e minimalista, a moda assinalou o retorno do luxo, do over, do maximalismo, como que incentivando o consumo através da fartura…

Karl Lagerfeld conseguiu mais uma vez surpreender os fashionistas em pleno Grand Palais, na Semana de Moda de Paris!

O desfile da Chanel começou com a seriedade dos clássicos tweeds da grife francesa, apesar de mais jovens e com uma pegada meio esportiva. Mas aí que começaram a aparecer cristais – sim, cristais em tudo: sapatos, mangas, golas… e saias brilhantes, com blusas super coloridas, e até leggins com as pedrinhas!!

E todos amaram, passado o sobressalto inicial!! Em especial os acessórios, que eram comentário unânime na saída do desfile, desde os maxicolares aos braceletes com pedras gigantes. Não à toa a estrela da primeira fila era Katy Perry…

Aliás, a onda kitch invadiu completamente essa semana de moda, também com o aval de maisons como Balenciaga e  Lanvin, transformando o que há pouco era cafona em elegante. É a elite fashion do mundo ditando a regra da vez!!

Paris…

29/09/2011

A semana de moda de Paris começou na terça-feira (27/09). Pedro Lourenço, que desfilou na Galerie Saint-Honoré, passeou bem entre o conceitual e o comercial (embora a crítica especializada tenha enxergado um quê de Balenciaga…), onde vestidos foram inspirados em prédios espelhados, usando elementos que misturavam o urbano com o natural.

Para a Mugler, Nicola Formichetti, diretor criativo da marca, mostrou peças com muitos recortes e uma cartela de cores de neutros, brancos e brilhos. E Gareth Pugh combinou branco e preto de uma maneira futurista, aliando-os a metalizados e roxo.

Nicolas Ghesquière, estilista da Balenciaga, trabalhou os tecidos de diferentes texturas e pesos, unindo os tecnológicos aos nobres…

Guerra pelo luxo

22/08/2011

Parece que o chamado “Quadrilátero do Luxo” está perdendo cada vez mais grifes que estavam exclusivamente ali instaladas. Dessa vez é a Cartier, que anunciou a abertura da flagship da marca no Cidade Jardim em 2012. O fechamento da loja da Haddock Lobo não foi confirmado mas, pelo que se tem notícia, o espaço nos Jardins não será mais ocupado. Além disso, está prevista uma expansão de lojas em shoppings, a exemplo de sua concorrente Tiffany. Até a Dior, tradicional no bairro, abrirá loja também no Cidade Jardim.

A verdade é que nesse ano diversas grifes anunciaram sua chegada no Brasil, caso da Balmain, Lanvin e Balenciaga. E, em 2012, com a abertura do JK, do grupo Iguatemi, outras grifes aportarão por aqui (ou se expandirão), como a Topshop e a Gucci. E um Cidade Jardim menor também deverá ser erguido, conforme anunciado pela JHSF.

Mas o charme da Oscar Freire ainda seduz muita gente – além de atrair turistas, que se aglomeram nos cafés e restaurantes. Então vamos esperar os próximos movimentos para ver quem vai vencer essa batalha no final…

Menina dos olhos das marcas internacionais, o Brasil recebe cada vez mais grifes de luxo. A primeira delas é a Marc Jacobs, que abre sua segunda loja no país, dessa vez no Shopping Iguatemi (a primeira loja fica na Rua Haddock Lobo), espaço também ecolhido pela Bottega Veneta, estreante por aqui.

A direção do shopping divulgou que as lojas devem ser inauguradas até o final do ano. E, a julgar pelo interesse de François-Henri Pinault, dono do PPR (conglomerado que detém marcas como Gucci, Alexander McQueen e Balenciaga), quando esteve no país em 2010, mais novidades devem pintar em breve por aqui, começando com mais lojas da própria Gucci.

Acontece hoje, na Casa Safilo (Vila Madalena), a partir das 10:30hs, o lançamento da nova coleção inverno 2011 de óculos das grifes mais badaladas do cenário internacional, como Balenciaga, Carrera, Gucci, Dior, Giorgio Armani e Yves Saint Laurent. Para o evento, a empresa convidou profissionais para ajudar os convidados a escolherem as peças certas para combinar com seu rosto  – e com seus looks de inverno…

O doutor Guilherme Furtado irá falar sobre a importância do uso dos óculos nesta estação e eu, Fernanda Doná, para dar dicas de como harmonizar os óculos de acordo com cada formato de rosto.

Nicolas Ghesquière, diretor criativo da Balenciaga,mostrou uma coleção bastante feminina neste inverno. Mais delicada, trouxe a mistura de espécies exóticas, flores coloridas e répteis, em cartela de cores vivas, como fúcsia, laranja, azul e verde.

As modelos vestiam saias de tecido fluído com estampa floral, acompanhadas dejaquetas de couro trançado bem pesadas, tudo levemente amplo e sem marcar o corpo.

O Fashion Rio aconteceu em clima de nacionalismo, tendo como mote a Copa do Mundo de 2014 e as Olimpíadas de 2016. Infelizmente não foi o que vimos na passarela, as grifes estiveram mais imitativas do que criativas, viu-se mais do mesmo – e várias vezes! Foi tanto Balenciaga, Lanvin, Givenchy e Dolce & Gabana que deu para enjoar. Claro, houve exceções, a exemplo da brilhante estréia de Lucas Nascimento e o belo desfile do pernambucano Melk Z-Da, mas no geral, vimos “tendências” vindas diretamente do exterior, como o militarismo, o rock/punk, o orientalismo.

A moda veio menos “democrática”. Explico: se você não ficar bem com determinadas peças, esqueça, porque é o que você cansará de ver nas lojas até o fim do inverno, já que aquela diversidade que vínhamos encontrando nas últimas temporadas não foi contemplada nessa edição do Fashion Rio. Sim, é possível tirar as tendências da próxima estação, assim você já pode ir se programando e sabendo, de antemão, o que poderá – ou não – estar no seu closet quando as grifes começarem a colocar seus produtos nas lojas:

1 – Pele, de preferência sintética e pelúcia;

2 – Ombros em evidência, sejam pontudos ou redondos (em paletós e jaquetas curtas);

3 – Brilho (tipo lurex ou em bordados cada vez mais cheios de detalhes);

4 – Babados, muitos!, de vários tipos e tamanhos;

5 – Short tipo ciclista, sob saia ou vestido;

6 – Saias muito curtas;

7 – Ankle boots bem curtinhas e de salto ou sandália abotinada tipo peep toe;

8 – Neoprene;

9 – Camurça;

10 – Azul (em diversos tons);

11 – Militarismo;

12 Calças super justas, principalmente leggings.

A crise pode até estar dando sinais de adeus, já que ontem as Bolsas do mundo se animaram com a notícia de que o JP Morgan obteve no terceiro trimestre lucro 580% maior que o do mesmo período do ano passado.

Bom sinal, sem dúvida. Mas os reflexos da crise puderam ser vistos na última semana de moda francesa que, em tempos de contenção econômica, priorizou uma moda mais “pé no chão”, sem tantos luxos e ousadias, porém sem perder o glamour.

A tarefa criativa esteve um pouco mais árdua nesta temporada, porque baixar custos não pode significar cair no lugar comum, há que se buscar sempre a novidade e continuar irresistível!

A Chanel, por exemplo, apresentou uma coleção contemporânea, de cores suaves e formas leves, porém indiscutivelmente sexy. Aliás, essa é a palavra de ordem da temporada: sensualidade, que aparece em looks muito curtos (curtíssimos!!!), fendas, decotes, lingeries aparentes… enfim, corpo à mostra.

Chanel Primavera-Verão 2010Chanel 8Chanel 6

 As silhuetas são soltas, os tecidos vaporosos, à exceção da Balenciaga e Balmain. Houve, também, o oposto, com a introdução de elementos do guarda-roupa masculino, ombros fortes, cinturas marcadas, caso da Dior.

Dries Van Noten Primavera-Verão 2010Balmain Primavera-Verão 2010 Balenciaga Primavera-Verão 2010Dior Primavera-Verão 2010

Hussein Chalayan apresentou seu smoking desconstruído, Balenciaga abusou das geometrias, Stella Mc Cartney misturou renda e alfaiataria. A Maison Martin Margiela “recortou” suas peças, Givenchy veio cheio de grafismos. 

Chalayan 2Hussein Chalayan Primavera-Verão 2010Stella Mc Cartney Primavera-Verão 2010 

 

Margiela Primavera-Verão 2010Givenchy Primavera-Verão 2010Louis Vuitton Primavera-Verão 2010

 Houve flores, muitas delas… mas ainda restou alguma referência étnica, assim como os nudes, beges, branco, rosa e preto.

Chanel Primavera-Verão 2010Miyake Primavera-Verão 2010Hermés Primavera-Verão 2010Givenchy Primavera-Verão 2010

Enfim, em época de recessão, teve menos pano, menos desperdício, uma moda mais usável sem que se perdesse criatividade, inventividade… O que mais se viu, sem dúvida: o corpo da mulher!

%d blogueiros gostam disto: